jump to navigation

um jovem agricultor 31 de Outubro de 2010

Posted by thiagorogel in Enquanto isso, Vida.
trackback

Impressiono-me com este agricultor
jovem agricultor
cujo trabalho se dá sobre a terra
enchada cravada no solo
terra pra cima – buracos.

Impressiono-me com sua capacidade em cada manhã
quando sai de casa
deixa de lado, como quem coloca algo valioso em uma caixa
e a guarda no fundo da gaveta.
Este jovem agricultor consegue separar para o lado oposto ao coração
e deixa ali, quietinha suas emoções.

“friamente”! Encara a lavoura.
Aparenta firmeza em um rosto juvenil.
faz o seu trabalho…
na escola, na empresa, ou em casa.
com amigos, com colegas, conhecidos/desconhecidos…
na igreja, na comunidade que tem uma busca comum – Jesus
ele trabalha…

não pense que ele trabalha muito
o que foi dito é que ele trabalha
e se perceber – diz-se que ele vive.

pareço-me com este homem
a dureza de seu rosto
de seus gestos
das suas conversas diretas na lavoura.
Apresentando seu foco,
olhando o relógio
indo embora para casa, para domir.

Mas a insensatez de uma visão machista e durona,
esta ainda não ganhou sua gaveta.

pareço-me com Pedro
que sofre com seus desejos frustrados
enquanto Cristo tem agonia profunda
pelos próximos acontecimentos – cruz.
pareço-me com Pedro que dorme enquanto Jesus
chora e sente o stress humano,
sabendo o que está por vir – crucificação.

A caixinha, não sai de sua mente agricultor!
nem as alegrias, sim elas mesmos.
De cicatrizes que nem são mais identificadas pois fecharam.

O agricultor sabe dos espaços ainda não preenchidos na caixa,
nem sempre sabe lidar com eles,
mas não os ignora,
a lavoura é resposta para esses espaços.
a lavoura é a bussola no deserto da caixinha dentro da gaveta.

A terra se abre,
a semente é lançada,
o sol é esperado e a chuva é desesperadamente necessária
para que haja colheita.
A colheita, após o trabalho da lavoura marca tempos.
Este é o objetivo de todo agricultor,
de todo aquele que coloca a mão na terra – colher.

não ignore a caixinha agricultor!
mas siga o que o dono da lavoura disse a ti.
Sei que anseia o Outono, mas você tem que esperar o tempo da lavoura.
depois, depois dela.

Você precisa acordar cedo,
agradecer pelo dia, pelo sol e pela chuva,
pela força dos seus braços,
pela enchada em suas mãos,
e pela terra.

Agradeça a Jesus porque há lavoura
porque há trabalho
e há motivos para se levantar a cada manhã.

E depois disso
Ele sabe
você sabe, é o seu norte.
Você acredita nisso.

parafraseando Jesus:
se formos #alegres na fidelidade em fazer o pouco,
quando Ele nos colocar no muito,
nossa alegria será #irresistível.

Influências do texto
– Culto desta manhã na Igreja E. L. Betel (pregação da Pra Eliane – Igreja: relacionamentos, amor, servir o próximo)

– um texto maravilhoso sobre Pedro e Jesus – Clique Aqui (Título: Contra-mão – por @TininhaX )

– E versos preciosos de provérbios.

Anúncios

Comentários»

1. Tininha - 1 de Novembro de 2010

Que maravilhoso texto, Thiaguinho…
Emudeci! Há tanto trabalho… Há tanta terra pra se cultivar…
Erguemos as mangas e vamos à luta, filhote!
Deus te abençoe mt e lhe traga sempre lindas e profundas inspirações…
Bjks


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s